7 práticas de proteção na transformação digital

Transformação digital: apesar do risco potencial em sua adoção, recuar simplesmente não é uma opção no mercado empresarial moderno de hoje. 

À medida que as empresas adotam a inovação digital, além disso, incluem automação de suas operações, aumenta o potencial de um ataque cibernético. 

Antes de tudo, os líderes que desejam permanecer competitivos precisam entender e implementar uma variedade de novos conceitos ao adotar a inovação digital

Aplica-se isto desde o desenvolvimento de aplicativos da Web, igualmente ao uso de ferramentas digitais para obter e manter os clientes. 

À medida que as empresas adotam a inovação digital, bem como a automação de suas operações, aumenta o potencial de um ataque cibernético. 

Ademais, manter o espaço de trabalho em expansão seguro, significa que há muitas decisões a serem tomadas ao trabalhar em direção à maturidade digital.

kevin ku w7ZyuGYNpRQ unsplash
7 práticas de proteção na transformação digital 4

Contudo, ao longo do caminho os cibercriminosos esperam que as organizações estejam ocupadas demais pensando nas vantagens comerciais da transformação digital para priorizar os componentes de cibersegurança desse processo. 

E eles estão assistindo e esperando a fim de explorar qualquer uma das falhas de segurança criadas quando a nova tecnologia é introduzida na rede.

Lidando com ameaças cibernéticas na Transformação Digital  

Sejam aplicativos, assim como os serviços em nuvem ou infraestruturas inteiramente novas, os riscos cibernéticos existem em cada novo empreendimento no processo de transformação digital.

Sem dúvida isto tem deixado as organizações vulneráveis ​​quando estão lutando com todos os problemas que surgem inevitavelmente ao fazer alterações em seu ambiente digital. 

Isso é especialmente perigoso, visto que quando a segurança é deixada em segundo plano, por consequência deixam as redes abertas a novos vetores de ameaças.

Como resultado, ainda pode levar à introdução de malware na rede, dados roubados e sistemas comprometidos com danos à reputação digital.

Para melhorar suas defesas, a princípio é importante que as organizações criem desde o início uma estratégia de rede baseada em segurança, decerto que se expanda automaticamente para qualquer novo ambiente de rede, estratégia de aplicativo ou implantação de dispositivo. 

Ademais, adiar as questões de segurança até que a rede tenha sido desenvolvida, apenas aumentam as chances de novas brechas de segurança serem introduzidas e um ataque cibernético resultante. 

Entretanto, para impedir que isso aconteça e criar uma rede baseada em segurança, compartilhamos as 7 práticas recomendadas para proteger melhor seus esforços de transformação digital.

cloud computing 1989339
Transformação Digital Cloud

1. Priorizando a segurança na nuvem

Primeiramente, os provedores de nuvem protegem apenas a arquitetura subjacente de um ambiente em nuvem, não os dados em si. A responsabilidade de uma organização reside em proteger os dados e os aplicativos que são movidos para a nuvem, juntamente com qualquer infraestrutura virtual que eles construam lá. 

A segurança na nuvem pode ser complexa, portanto, a escolha de um fornecedor confiável para ajudar a projetar, criar e manter segurança consistente em seu ambiente de várias nuvens.

Vinculá-lo novamente às arquiteturas de segurança de núcleo, filial e mobilidade com um único console para visibilidade e controle holístico é extremamente importante.

2. Use protocolos de acesso de confiança zero

Como muitas violações de dados são causadas por indivíduos que obtêm acesso a níveis não autorizados de recursos e dispositivos de rede, a confiança zero, combinada com o rigoroso controle de acesso, é crítica. 

Para proteger melhor ainda mais esses ambientes de rede, recomenda-se que às equipes de segurança também devem introduzir a autenticação de dois fatores. Implementar a segmentação dinâmica da rede para limitar quem vê o quê, além de monitorar cuidadosamente os dispositivos.

3. Mantenha-se atualizado sobre as leis de privacidade

Duras sanções aguardam aqueles que violam os rígidos regulamentos de proteção de dados da UE (GDPR). 

Com as novas leis de privacidade, pode ser fácil cometer uma deslize. As organizações devem procurar ferramentas de segurança que ofereçam orientação sobre a compatibilidade restante em meio à transformação digital. 

4. Monitorando a presença na Web

À medida que os cibercriminosos continuam a atingir sites vulneráveis, as equipes de segurança devem tomar medidas adicionais para garantir que seus sites e aplicativos da Web possam enfrentar essas ameaças. 

Isso inclui a proteção de aplicativos SaaS, a implantação de firewalls de aplicativos da web e a implementação de soluções CASB ( Cloud Access Security Broker ) e ferramentas de segurança de terminais para usuários móveis. As organizações também devem escolher apenas soluções projetadas para funcionarem como um sistema integrado para cobertura uniforme e sem falhas de segurança.

5. Protegendo aplicativos 

Os desenvolvedores de software que constroem os aplicativos usados ​​nas organizações nem sempre priorizam a segurança, especialmente em aplicativos de terceiros que geralmente são instalados em dispositivos pessoais. 

Para esses tipos de aplicativos, as organizações devem implantar ferramentas de segurança de terminais, enquanto no desenvolvimento interno de aplicativos, certifique-se de aproveitar as ferramentas de segurança durante todo o processo de desenvolvimento.

Não esqueçamos de incluir as soluções baseadas em contêineres projetadas para estratégias de desenvolvimento ágil e equipes de DevOps.

6. Fortalecendo as conexões sem fio

radio waves 303258
Transformação Digital – Wireless

Não é segredo que os pontos de acesso sem fio seguros desempenham um papel crítico nas organizações modernas. 

Os cibercriminosos estão cientes dessa confiança, o que significa que as equipes de segurança devem adotar uma abordagem proativa para proteger suas conexões sem fio. Isso pode ser conseguido executando o tráfego sem fio por meio de um firewall de última geração.

7. Estendendo a segurança para locais remotos

Além de proteger a conectividade para e entre locais remotos, as organizações também devem ter o cuidado de proteger e gerenciar a LAN da filial local. 

Sem sua equipe de TI no local, torna-se necessário uma solução simples e abrangente, que garanta uma ampla variedade de dispositivos tradicionais e de IoT no local.

Nesses casos recomenda-se fortemente uma solução do tipo SD-Branch.

Conclusões para aplicar a Transformação Digital

A transformação digital é uma prioridade crítica para os negócios, mas se a segurança cibernética não for incorporada desde o primeiro dia, as organizações deixarão a si mesmas, seus funcionários e clientes, abertos a sérios riscos cibernéticos. 

Procure começar pela segurança, em vez de deixá-la como uma reflexão tardia, e aproveite a era digital de maneira inteligente, segura e protegida.

Este é um resumo de um artigo escrito para a Security Week por Fortinet CMO e EVP, Products, John Maddison. O artigo inteiro pode ser acessado aqui.

PT_BR
Rolar para cima